QUEM SOU

sexta-feira, 5 de julho de 2013

CIRURGIA AVANÇADA OU CADUCA?

    Com a devida vénia, transcrevemos do «Diário do Minho» de 5 de Julho de 2013 o seguinte artigo da autoria de Artur Soares:



    Há dias atrás, um velho amigo que não vinha a Portugal há muitos anos, procurou-me e não o reconheci de imediato. Fisicamente elegante e distinto no vestir, foi necessário exibir-me uma foto antiga para saber que se tratava do Pileca, ex-militar que comigo sobreviveu por terras do oriente. Nesses tempos, o Pileca era forte, abandalhado, grosseiro até. Razão por que o alcunharam de “Pileca”.
    Indiquei ao meu amigo o mais cómodo e luxuoso hotel da zona – por que assim o exigiu – e estivemos na conversa desde as nove horas da noite às dez da manhã do dia seguinte. Falamos de si, de mim, de política, dos assaltos do Governo Sócrates e de Passos Coelho ao povo, dos novos pedintes portugueses, para entrarmos no problema das religiões, caminhos de vida que visam a cura ou a perfeição das Almas, do espírito do homem.
    O meu amigo vive em Nagpur, na India, e informou que nesse oriente longínquo, há religiões para todo o género de almas e de personalidades. E como só o homem sofre com os desaires ou os cancros da alma, na sua modesta cidade de Nagpur, já existe uma Clínica de Almas, de cirurgia avançada, devido à falta de directores espirituais que, como em Portugal, vão rareando.
    - Mas, desculpa a interrupção, Pileca. que género de cirurgia se faz à alma e como se conclui que há almas doentes?
    - Bom. Devo dizer-te que vim a Portugal a mando desse grande cirurgião de almas, o senhor Noack, porque conhece as enfermidades espirituais de vários países do mundo, em especial as dos portugueses. O senhor Noack, natural de Mumbai - India, está na disposição de montar uma clínica de almas em Portugal e investir cá cem milhões de Euros, criando desse modo seiscentos postos de trabalho. Actua o senhor Noack, com métodos especiais espirituais e, afianço-te, que nunca recorreu à hipnose, à lavagem de cérebros ou anestesia.
    - As almas não são doentes – continuou. Ganham defeitos que podem ser amputados: como cegueira, indecisão, orgulho, sintomas de cotovelite (ciúmes), tumores intelectuais, rapacidade, terror da morte, vícios e tantos outros! Resolve também o senhor Noack o problema de virtudes excessivas, enfim, tudo que estorve a alma dos outros. São cirurgias com precisão, sem dor, e sem serem de borla, pois claro! 
    - Desculpa interromper-te novamente, Pileca. Mas não se tratando de curar almas através da espontânea confissão de pecados ou de conselhos, será o senhor Noack um psicólogo, psiquiatra, neurólogo ou aldrabão que, por isso mesmo, tem sucesso nas almas fragilizadas?
    - Repara, companheiro. Freud estudou os distúrbios mentais, as causas nervosas e a ausência de moral no homem. E tais e tudos não se aplicam a amputações na alma. Mas, Noack, porque é Indiano e convicto seguidor do Cristo, tornou-se especialista infalível, como cirurgião do espírito e, só do espírito, porque há almas que crescem de mais, ficam jactantes, incham e nada se concretiza: há a podridão da cultura injectada, que aumenta o pedantismo doentio, conforme se verifica nos Ministérios, repartições públicas, instituições privadas ou não. Enfim, há defeitos de todos os graus e qualidades, que é necessário anular. “Uma alma limpa é a força do homem, tal como a electricidade é a força do motor ou do gerador”. E a melhor paz para a humanidade, é cada homem viver o melhor possível sob o ponto de vista espiritual. Não será melhor para o homem “entrar com um só olho ou uma só mão na Vida, do que ser lançado na geena do fogo?
    - Mas então justifica-se tal Clínica em Portugal? – Perguntei. Claro que sim! Cá, já tendes al- guns milhares de almas imperfeitas que vos fez perder o selo de “Nobre povo, Nação valente e imortal”! Clínica? Sim. Pois “quem investe na alma, colherá do Espírito a vida eterna! 
    - Amigo Pileca, quanto custa substituir ou sacar da alma dez defeitos?
    - Há defeitos que já têm pêlos ou estão rançosos. Nestes casos e para começar, seriam cinquenta mil euros por cada dez defeitos sacados. Quanto à substituição da alma, resolve-se também, uma vez que há por aí muitas perdidas e, compram-se por tuta-e-meia em qualquer lado. Mas esse serviço é polémico, pois pode passar (depois) a homem de alma pasmada, como por exemplo a alma de muitos políticos que vos têm governado ultimamente.
    Fiquei estupefacto com esta afirmação do Pileca. Então, garanti ao meu amigo que iria iniciar com a brevidade possível a legalização da clínica, tendo em atenção a existência das regalias da Concordata com o Estado, que poucos a entendem e poucos a sabem explicar.
Tal cirurgia convenceu-me: as almas portuguesas precisam de alento. Haver vamos.

Sem comentários:

Enviar um comentário