QUEM SOU

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

PAQUETE »ANGOLA»

Paquete «Angola»
por Rob
Lápis sobre papel
304 x 214 mm.

Navio de passageiros e carga a motor Diesel, construído em aço durante os anos 1947-1948. 
Nº. oficial: H 370. 
Indicativo de chamada: CSCR. 
Arqueação bruta: 12 975 toneladas; 
Arqueação líquida: 7 703 toneladas; 
Porte Bruto: 9 703 toneladas; 
Deslocamento máximo: 18 223 toneladas; 
Deslocamento leve: 8.520 toneladas. 
Comprimento ff: 167,11 m; 
Comprimento pp: 161,04 m; 
Boca: 20,50 m; 
Pontal na ossada: 13,48 m; 
Calado: 8,21 m. 
Capacidade de carga: 4 porões com 12.440 m3, incluindo 311 m3 de carga frigorífica. 
Máquina: 2 motores diesel Doxford, com 13 000 bhp a 115 rpm. 
2 hélices. 
Velocidade: 17 nós.
 Passageiros: 741 (89 - 1ª, 141 - 2ª, 98 - 3ª, 413 - 3ª suplementar) . 
Tripulantes: 212. 
Navios gémeos: MOÇAMBIQUE. 
Custo: 161 137 000$00.

    O ANGOLA foi encomendado em 20-12-1945 ao estaleiro R & W Hawthorn, Leslie & Co., e construído em Newcastle upon Tyne, Inglaterra (construção nº 689), para a Companhia Nacional de Navegação. 
Em 27-06-1947 procedeu-se ao assentamento da quilha, sendo lançado à água em 24-03-1948. 
Foi madrinha do ANGOLA a Srª. Duquesa de Palmela. 
O navio efectuou as provas de mar a 10 e 11-12-1948 ao largo da foz do rio Tyne, e foi entregue a 17-12, tendo chegado a Lisboa em 21-12-1948, sob o comando do capitão António Bettencourt; trouxe 22 passageiros. 
    Visita oficial de entidades oficiais a 4-01-1949. 
Em 10-01-1949 o ANGOLA foi registado em Lisboa, de onde largou no dia seguinte para Leixões (12-01), iniciando a actividade comercial. 
    A 14-01 saiu de Lisboa com 707 passageiros, na viagem inaugural para: Funchal, S. Tomé, Luanda, Lobito, Moçamedes, Cidade do Cabo, Lourenço Marques, Beira e Moçambique. 
    Em 1957 o ANGOLA foi a Newcastle, sendo reclassificado pelos estaleiros Hawthorn Leslie & Co e Smith’s Dock Company: 
     1962: 13 078 TAB, 7 964 TDW, 547 passageiros (106 - 1ª., 141 - 2ª., 300 - 3ª.). 
   De 7-03 a 30-04-1971 o ANGOLA foi modernizado em Lisboa pela Lisnave no estaleiro da Rocha, sendo reduzida a lotação de passageiros para 247 (106 - 1ª., 141 - turística), e o número de tripulantes para 155, aumentando assim a capacidade de carga para 14.020 m3 e o porte bruto para 8.851 TDW. 
    As cores do ANGOLA foram alteradas na ocasião, passando o casco a azul médio com linha de água azul escura enquanto a chaminé viu aumentada a superfície de azul. 
    Em 30-04-1971 o navio regressou à linha de África. 
    Em 27-11-1973 o ANGOLA largou de Lisboa na que seria a última viagem a Moçambique. 
   Durante a viagem a CNN obteve autorização governamental para vender o navio, que foi retirado do serviço em Lourenço Marques a 30-12-1973. 
    Parte da tripulação regressou a Lisboa a bordo do PRINCIPE PERFEITO e o ANGOLA seguiu em 16-01 para a Formosa, chegando a Hualien em 8-02-1974, onde foi desmantelado pela firma Chou’s Iron & Steel Co a quem foi vendido em 31-01-1974.


(FONTE:
 BLOGUE dos NAVIOS e do MAR   -   
http://lmcshipsandthesea.blogspot.pt/2006/12/paquete-angola-1948-1974.html   )

Sem comentários:

Enviar um comentário