QUEM SOU

A minha foto
Braga, Minho, Portugal
Franciscano com paciência beneditina.

terça-feira, 22 de janeiro de 2019

O CONTACTO INICIAL DO CALCANHAR É A MANEIRA NATURAL DE ANDAR DESCALÇO

    KRISS SANDS
    12 DE JANEIRO DE 2019
    
    Um contacto inicial do calcanhar também é conhecido como «golpe do calcanhar».
   Quando os humanos caminham, descalços ou não, a marcha normal e natural é um contacto inicial no calcanhar ao pisar. 
    Isto é muitas vezes referido como andar com um golpe de calcanhar, e é para o que o pé humano está projectado a fazer.
    O termo «golpe de calcanhar» é um pouco enganador, no entanto, porque tende a trazer à mente um duro golpe ─ como golpear com um martelo ─ o que não é realmente o que acontece, especialmente se estiver descalço. 
    Alguém que usasse sapatos ou botas com saltos duros certamente poderia ser duramente atingido ou cair com o calcanhar se estivesse inclinado. 
    A palavra «golpe» pode ter muitos significados, dependendo do contexto. 
    Por exemplo, um golpe no basebol também não é um sucesso. 
    No contexto da marcha humana, golpe é a terminologia padrão no mundo científico e médico para se referir apenas à parte do pé fazendo o contacto inicial com o solo ou outra superfície, não a força desse contacto.
    É por isso que geralmente me refiro ao primeiro ponto de contacto normal de um passo humano como um contacto inicial no calcanhar, e não um salto no calcanhar.
    Mas, ao longo deste artigo, posso usar qualquer uma das terminologias.
    Quando alguém anda descalço, por via de regra, os calcanhares não atingem a superfície a cada passo ─ como no golpe forte. 
    Simplesmente pousam e fazem o contacto inicial. 
    Isso é imediatamente seguido por um rolamento do pé para a frente do calcanhar, para a bola do pé e, em seguida, para os dedos dos pés, como o peso do corpo é transferido para frente do calcanhar, para os dedos dos pés.
    Porque é tudo isto importante?
    Podemo-nos perguntar: porque afirmamos o óbvio? 
    Não andam todos assim?
    Na verdade, pràticamente, fazem-no.
    Pessoalmente, na vida real, nunca vi ninguém andar assim, e refiro-me particularmente a alguém que anda descalço em superfícies relativamente lisas e relativamente niveladas. 
    Superfícies muito ásperas ou muito íngremes exigem geralmente uma variação na parte do pé que faz o contacto inicial, tanto para a estabilidade como para o conforto.
    Infelizmente, há vários vídeos e artigos na Internet e noutras fontes em que o narrador ou escritor afirma que, ao andar descalço,nunca se deve bater o calcanhar.
    Esta é uma informação errada e enganosa. 
    Um contacto inicial do calcanhar ao pisar é uma marcha normal e natural. 
    É como o pé humano está projectado. 
    Nós não somos animais, muitos dos quais andam sobre as patas dianteiras ou traseiras. 
    Nós somos humanos. 
    Os seres humanos andam sobre dois pés, não quatro, e os seus pés são projectados numa configuração plantígrada, que tem um calcanhar que funciona como o ponto inicial para um passo normal. 
    Isto é ainda mais fundamentado ao observar os passos de caminhada de tribos indígenas primitivas, que nunca nas syas vidas usaram calçado. 
    Em terreno relativamente liso eles andam sempre com um contacto inicial do calcanhar.
    


    7 alegações comuns (mas falsas) citadas por «especialistas» descalços
    Geralmente, há vários motivos ou justificações citadas por «especialistas» que andam descalços e que dizem que estamos a andar de uma forma errada:

    (1) "O CALÇADO É A RAZÃO DO GOLPE DE CALCANHAR”
    O que é muitas vezes alegado é os humanos andarem com o calcanhar pela única razão de usarem calçado desde o início das suas vidas, a implicação é que de outra forma andariam de maneira diferente e não teriam nenhum contacto inicial com o calcanhar. 
    Esta é uma hipótese popular, mas simplesmente não tem validade.
    O oposto disto é que é de facto verdade. 
    Os sapatos tendem a impedir que as pessoas andem com um golpe natural do calcanhar (contacto inicial no calcanhar). 
    Embora possa parecer, com o som, que ocorre uma forte pancada do calcanhar quando se anda calçado, isto dá-se por causa dos habituais tacões habituais ─  alguns mais altos que outros. 
    O pé tenta descer com um golpe de calcanhar suave normal a cada passo, mas o tacão do sapato fica no percurso, fazendo com que o calcanhar, enquanto fechado no sapato, bata numa posição acima de onde deveria bater.
    Na verdade, os calçados tendem a forçar o pé a um pouso mais anormal do antepé, com o calcanhar mais alto do que a sua posição natural, a cada passo.
    Esta situação é descrita pormenorizadamente no artigo de 1999 da Podiatry Management pelo falecido Dr. William Rossi, intitulado Por que os sapatos tornam a marcha «normal» impossível
    A marcha normal, como esclarece o artigo, refere-se a um calcanhar inicial normal, entrando em contacto onde o mesmo calcanhar chega à superfície.
    Do artigo:

    "Nestas condições (usando sapatos com salto padrão), a sequência dos passos não é mais do calcanhar para a bola dos pés e do empurrão, como acontece no pé descalço. 
    "Com tacões de  duas ou mais polegadas de altura, pouco peso é suportado pelo calcanhar do pé, e o empurrão do passo é quase totalmente para a bola."

    (2) “AS PESSOAS QUE NUNCA USARAM CALÇADO NUNCA BATEM O CALCANHAR”
    Outra coisa muitas vezes reivindicada por essas pessoas é que seres humanos em tribos indígenas primitivas ao redor do mundo, que nunca usaram sapatos na vida, andam sempre com um contacto inicial do antepé, não com um contacto do calcanhar, o que supostamente faria o calçado causar a hipótese do calcanhar.
    Mais uma vez: informações falsas que podem ser fàcilmente desmascaradas com um pouco de pesquisa ou mesmo observação pessoal, tivermos oportunidade. 
    Eu próprio visitei as Fiji e a Polinésia Francesa (Taiti e Moorea), onde a maioria das pessoas nativas cresceu sem nunca usar calçado, e muitas ainda não, especialmente nas áreas rurais. 
    Todos eles andam descalços, com um contacto inicial do calcanhar num terreno relativamente plano. 
    Enquanto là estive nunca vi um contacto inicial com o antepé.
    Ao longo dos anos, foram produzidos muitos e bons documentários, mostrando a vida entre as tribos indígenas que ainda existem em certas partes remotas do Mundo.
    Cenas desses documentários mostram que os grandes planos dos pés das pessoas, enquanto caminham, são às vezes difíceis de encontrar, mas existem. 
    Onde essas cenas são encontradas, nunca vi uma onde alguém dessas tribos remotas, pràticamente nuas, que não andasse do normal modo humano, isto é, com um contacto inicial do calcanhar seguido de um rolar do pé para a frente, para o antepé.
    Aqui está um exemplo, no YouTube.
    Povo Shompen das Ilhas Nicobar:
    Os Shompen são um povo indígena da Ilha Great Nicobar, que faz parte do território de Andaman e Nicobar, União Indiana, um grupo de ilhas ao Sul da Índia, onde a Baía de Bengala se junta ao mar de Andaman.
    Poderemos ver um pouco de como caminhar naturalmente descalço a cerca de 4 m. 12 s., e grande caminhada aos 4m. 43s..
    Um exemplo de documentário disponível que confirma claramente que as pessoas que nunca usaram calçado na vida caminham sempre primeiro com o calcanhar em superfícies lisas, em vez do antepé ou da bola.
    Esta é certamente uma prova da verdadeira maneira natural de se andar descalço.

    (3) “OS PRÉ-HISTÓRICOS NÃO BATIAM COM O CALCANHAR”
    Outra afirmação, às vezes feita por aqueles que mudariam a nossa marcha natural, é que, nos tempos antigos, antes mesmo de o calçado ser inventado, os primeiros humanos andavam sempre com um golpe do antepé, não com um golpe do calcanhar. 
    Não há provas disso. 
    Há, de facto, evidências em contrário. 
    Por exemplo, no artigo “Laetoli Footprint Trails”, no site do Smithsonian Institute "O que significa ser humano?" afirma:

    "As pegadas mostram também que a marcha desses humanos primitivos foi de “golpe de calcanhar” (o calcanhar do pé bate primeiro), seguido de “calcanhar fora” (os dedos dos pés afastam-se no fim do passo) ─ o modo como os humanos modernos caminham."

    (4) “OS MEDIEVOS NÃO BATIAM COM O CALCANHAR”
    Também se alega que, na Idade Média, quando o calçado consistia principalmente e apenas em envoltórios de couro macio ao redor dos pés, os humanos tinham que ter andado com um golpe de antepé, não com um golpe de calcanhar, porque aqueles sapatos macios não tinham salto nenhum. 
    Esta é outra conclusão baseada no raciocínio errado de que sapatos com tacões de alguma forma têm sido a única razão pela qual os humanos actualmente andam com golpe de calcanhar.
    Por exemplo, há alguns anos, um vídeo interessante saiu no YouTube e chamou a atenção de muitos descalcistas. 
    Um homem vestido com trajes medievais dentro de um parque histórico alemão dava uma apresentação intitulada, em parte, "Walk Medieval". 
    Ele alegou e tentou demonstrar como as pessoas supostamente andavam na Idade Média com aqueles sapatos macios, isto é, nunca fazendo um golpe de calcanhar.
    A «prova» eram alguns desenhos daqueles tempos, alguns dos quais mostravam pessoas em várias poses, com um pé ou outro tocando o chão com a ponta do pé.
    Mas nenhum deles descreveu realmente alguém a andar.
    Ele apoiou essa conclusão com outra afirmação falsa e familiar de que as pessoas da terra que nunca usaram calçado durante toda a vida pisam assim quando andam.
    Então, só porque as pessoas medievais usavam sapatos de couro macio sem saltos, não há razão para supor que eles andariam de modo muito diferente das pessoas de hoje. 
    Embora, naturalmente, os sapatos macios sem salto parecessem muito mais com o andar descalço, provàvelmente a marcha seria um pouco mais suave do que com sapatos rígidos, mas ainda com um contacto inicial e natural do calcanhar.
    
    (5) “OS HUMANOS DEVEM ANDAR COMO OS ANIMAIS”
    Outra razão dada frequentemente para os humanos nunca deverem andar com um golpe de calcanhar é que, como a maioria dos animais não toca com os calcanhares ao caminhar, nós também não o deveríamos fazer. 
    Apontam que a maioria dos animais, como os cães, os gatos, as raposas, etc., só andam na ponta dos pés ou no antepé das patas, nunca tocando com os calcanhares, então seria «natural» para os humanos irem pelo mesmo caminho.
    Os defensores dessa teoria às vezes chamam isso de «passo de raposa» e sugerem que os humanos devem se esforçar para essa marcha. Infelizmente, eles ignoram o facto de que os pés humanos e os pés dos animais são projectados de forma bem diferente, e os pés humanos nunca foram projectados para andar assim.
    Esta marcha natural de um ser humano segue o desenho básico plantígrado do pé humano. 
    Envolve o uso de todo o pé ─ do calcanhar aos dedos do pé ─ ao andar, ao contrário do pé digitígrado de muitos animais que  tocam apenas com a parte da frente dos pés.
    
    (6) “AS PESSOAS DEVEM ANDAR COMO BÉBÉS”
    Outra razão por vezes alegada para nunca justificar o golpe de calcanhar ─ e esta é provàvelmente a mais ridícula ─ é que os bébés e crianças que apenas aprendem a andar representam o caminho ideal e natural para andar e que nós, adultos, devemos imitar esse tipo de andar. 
    Não, eles não batem exatamente quando pisam. 
    Mas nós deveríamos, sèriamente, andar como bébés?
    Os bébés e as crianças, quando aprendem a andar, estão bàsicamente a tentar não cair, enquanto movem desajeitadamente os pés. 
    Têm muito pouca força e controle das pernas ou pés, e apenas estabilidade e equilíbrio rudimentares. 
    As acções experimentais de bébés e crianças pequenas, à medida que crescem e aprendem a andar, não são diferentes do processo de aprender a comer ou conversar. 
    Certamente ninguém diria também que deveríamos comer ou falar da mesma forma que as crianças pequenas. 
    É uma noção muito tola, comparar crianças a caminhar com adultos e alegar que as crianças estão no caminho certo e os adultos não.
    
    (7) "É DOLOROSO CAMINHAR COM UM BATER DE CALCANHAR"
    Há uma outra pequena discussão que devo mencionar e que também ouvi de algumas pessoas, que andar com um contacto inicial do calcanhar  faz com que de alguma forma elas sintam uma sensação chocante ou um choque quando pisam. 
    Nunca senti nada disso. 
    Pergunto-me porquê.
    Então há tempos atrás fiz uma experiência. 
    Durante alguns minutos andei de um lado para o outro no chão de madeira da minha casa, observando e analisando cuidadosamente como pisava.
    Eis o que encontrei: 
    Em cada etapa, no momento em que o calcanhar do pé da frente está prestes a fazer o seu toque inicial no chão, quase todo o peso do meu corpo, naquele exacto instante, ainda está no outro pé (o pé de trás). 
    Imediatamente após tocar em baixo com o calcanhar, o meu peso desloca-se suavemente para a frente, do pé de trás para o da frente, enquanto o pé da frente continua a cair suavemente, desde o contacto do calcanhar até ao contacto total da planta do pé. 
    Simultâneamente, o calcanhar do pé de trás ergue-se quando o pé se enrola na bola do pé.
    Então, quando levanto o pé de trás do chão para começar a avançar para dar o próximo passo, o meu peso está agora totalmente deslocado para o pé da frente, onde permanece até que o outro pé termine de avançar e comece a fazer contacto com o chão. calcanhar primeiro ─ e o processo recomeça. 
    E este movimento suave contínuo é repetido no próximo passo.
    Nenhum ranger ou choque do calcanhar ao contacto inicial do calcanhar, mas apenas um toque suave para baixo e um rolar para a frente.
    Há anos atrás fiz um pequeno vídeo, que me mostrando a andar descalço perto de casa, e que está actualmente no YouTube:
    Contrastando com o calcanhar suave e natural dos pés que geralmente faz parte do meu andar, notei que, quando ando com um contacto inicial do antepé, há mais pressão directa sobre os joelhos.
    Um dos meus joelhos foi lesionado há muitos anos atrás, durante a prática de artes marciais, e três cirurgias separadas ajudaram-me um pouco, ao longo dos anos, mas nunca vim novamente ao normal. 
    Durante a maior parte do tempo não tenho problemas em andar ou fazer outras actividades normais usando esse joelho, mas qualquer pressão ou tensão incomum geralmente causa dôr. 
    Isso é o que sempre noto quando ando com um contacto inicial do pé por qualquer período de tempo, desconforto ou dôr naquele joelho, devido à pressão mais directa, para baixo, do meu peso, enquanto dou um passo.
    Se sentir aquele desconforto ou dôr no joelho afectado, muito mais sensível, quando piso com um contacto inicial do antepé, esse tipo de marcha certamente também causará danos adicionais ao joelho são. 
    E é mais provável que danifique os joelhos de alguém ao longo do tempo, se assim andarem constantemente.


De onde veio essa noção de que o golpe de calcanhar é mau?

    Então, de onde veio essa noção equívoca de que os descalcistas supostamente nunca pisam com o calcanhar e devem sempre andar com o contacto inicial do antepé?
    Não está totalmente claro, mas uma teoria é que esses autoproclamados «especialistas», que fazem essa alegação, provàvelmente não são realmente descalcistas de longa data ou a tempo inteiro, e os seus pés são relativamente macios. 
    Além disso, provàvelmente nunca andam descalços em superfícies planas e lisas do chão, pisos, calçadas urbanas ou ruas. 
    Quase todos esses vídeos e artigos que se vêem passam-se fora da Natureza, como em caminhadas. 
    A maioria dos trilhos para caminhadas, ou outras áreas afastadas das áreas urbanas, geralmente são bastante irregulares, com pedras, cascalho, raízes e várias coisas que podem ser muito desconfortáveis para a tenra planta de um principiante.
    É facto que, se os pés não estão bem condicionados, a maneira mais confortável de andar em terreno muito acidentado com cascalho, etc., é deixar que o antepé pise primeiro e, assim, absorver mais facilmente qualquer pedra áspera ou afiada que possamos pisar. 
    Não é a maneira mais eficiente ou natural de andar ─ com base em como o pé humano é projectado ─ mas, nessas circunstâncias, é provàvelmente o mais confortável para principiantes com essa tendência.
    Outro factor que pode influenciar essa visão equivocada dos andamentos descalços é o aumento, nos últimos anos, do interesse pela corrida descalça. 
    A pesquisa e a experiência mostraram que um pouso em corrida é o mais natural e eficiente, e causa menos danos ao corpo. 
    Alguns podem, portanto, ter postulado que um pouso em caminhada no antepé também é o mais natural e eficiente.
    Mas correr e andar são métodos totalmente diferentes de mover o corpo.
    Ao correr, entre cada passo, os dois pés estão totalmente fora do chão por uma fracção de segundo. 
    Com efeito, estamos momentaneamente a flutuar no ar, como se estivéssemos  a saltar de um pé para o outro. 
    Assim, o pouso (ou golpe) do calcanhar a cada passo é menos eficiente, menos confortável e potencialmente mais prejudicial para o corpo durante a corrida.
    No caminhar, um pé ou outro está sempre em contacto com o solo. 
    Não é de forma alguma como o movimento de salto na corrida, mas um tipo suave de movimento de rolamento, começando no calcanhar de um pé à medida que o peso do corpo avança de um contacto inicial do calcanhar para o antepé e dedos dos pés.
    À medida que o peso do corpo alcança o antepé e os dedos dos pés, quase simultneamente o outro pé começa a tocar com o calcanhar para repetir o processo.


As pessoas, geralmente, andam com um golpe de calcanhar, mesmo que não se apercebam

    Notei ao longo dos anos, quando me envolvi em discussões sobre andarmos descalços, é que a maioria das pessoas nem sequer tem a certeza ou está confusa acerca de como realmente andam. 
    Eu li alguns descalcistas a afirmar que eles nunca dão golpe de calcanhar quando andam, mas sempre com o antepé em terra primeiro. 
    Mas, em vários desses casos, essas mesmas pessoas postaram vídeos de si mesmas andando descalças, e ficou perfeitamente claro que não andavam como julgavam que andavam ou alegavam que andavam.


Os novos descalcistas ficam frequentemente confusos e frustrados se lhes for dito para nunca pisar com o calcanhar

    A única razão pela qual esse problema (golpe de calcanhar contra avanço do antepé) sempre me preocupou é que vi tantas vezes que novos descalcistas eram aconselhados a nunca fazer golpe de calcanhar. 
    Assim, não sabendo de nada, tentam mudar a marcha natural descalça, e ficam desanimados porque é muito estranho e antinatural tentarem andar assim.
    O que ouço ou leio repetidas vezes são principiantes a dizer algo como isto: "Sei que não devo pisar com o calcanhar quando ando descalço, mas andar de qualquer outra forma parece-me estranho e desconfortável".
    E geralmente respondo: "Quem te disse que não deverias fazer o golpe do calcanhar? Quem o diz não sabe do que fala. Anda descalço da maneira que te parecer natural e confortável, e isso provàvelmente ocorrerá com um contacto inicial e natural do calcanhar.”


Como me tornei ciente do problema de andar de calcanhar e descalço


    Tenho sido descalcista, tanto quanto possível, toda a minha vida, e a tempo inteiro, 24/7, a partir de 2003. 
    Quando criança, andava sempre descalço durante o tempo quente, e quando não estava na escola. 
    Nas Forças Armadas tive que usar calçado quando estava em serviço, e durante toda a minha carreira profissional tive que usar sapatos durante o expediente. 
    Mas geralmente andava descalço em todas as oportunidades fora dessas situações.
    Comecei a correr descalço (quando pràticamente ninguém corriua descalço), assim como entrei em artes marciais (judo e taekwondo), uma actividade sempre praticada descalço. 
    Em nota de rodapé: nunca ninguém me disse como andar descalço. 
    Ando descalço desde a mais tenra infância e nunca pensei duas vezes como estava a pisar.
    Em 2003, descobri a «Society for Barefoot Living» (Sociedade para um Viver Descalço , N. T.) e aderi a ela. 
    Nesse período, comecei a ler e a ouvir discussões sobre a maneira «correcta» de andar descalço. 
    Algumas pessoas, e alguns vídeos e blogs, diziam que nunca deveríamos atacar com o calcanhar, que devíamos andar sempre descalços com um ataque inicial do antepé, e não do calcanhar.
    Comecei a pensar: “Andei descalço toda a minha vida de maneira incorrecta?”
    Então comecei a tentar andar da maneira como esses chamados «especialistas» me diziam que eu deveria andar. 
    Achei muito estranho e desconfortável.
    E também não fazia muito sentido. 
    Os meus pés simplesmente não funcionavam assim sem um esforço especial para forçá-los a sair dessa forma. 
    Então comecei a fazer muita pesquisa e observação pessoal. 
    Ou eu estava tinha andado errado aquele tempo todo ou aqueles que mo estavam a dizer é que estavam errados.
    Com base em tudo que li e observei, e pela experiência pessoal, finalmente cheguei à conclusão de que os pés humanos nunca foram feitos para andar da maneira como esses «especialistas» nos tentavam dizer para andar descalços. 
    Um toque inicial do calcanhar ao pisar é uma marcha normal e natural. 
    É como o pé humano está projectado.


O ponto de contacto inicial do pé pode variar naturalmente com o terreno

    Dito isto, no entanto, devemos também ter em mente que o pé humano é muito versátil e não foi necessàriamente destinado a caminhar ou fazer contacto inicial com a superfície, exactamente da mesma maneira,em todos os momentos ou em todas as superfícies ou condições. 
    O pé é projectado e capaz de fazer ajustes subtis para se acomodar a superfícies variadas. 
    Isto significa que o uso de outras áreas do pé para fazer contacto inicial ao pisar pode ser o mais estável e confortável em vários momentos.
    Pessoalmente, passo com o meu calcanhar a tocar primeiro em qualquer superfície plana e lisa, como um piso relativamente plano, um piso ou uma rua ou calçada nivelada. 
    Em superfícies ásperas ou em declives íngremes, toco com o antepé primeiro ─ é apenas mais confortável ─ e então, nessas circunstâncias, eu desisto um pouco da eficiência em favor do conforto.


As pessoas devem andar descalças da maneira que lhes parecer mais natural e confortável

    É claro que qualquer pessoa que preferir andar descalça tocando primeiro com o antepé em todos os momentos e em todos os lugares, deve fazê-lo o se achar que é o melhor para os próprios pés ou para a própria situação. 
    É uma questão de escolha pessoal. 
    Mas dizer que as pessoas devem andar descalças dessa maneira é uma falsa afirmação.
    Realmente, tudo o que é necessário, mesmo aos novos descalcistas, é simplesmente andar e nem pensar nisso. 
    Caminhando correctamente, porque é assim que o corpo funciona ─ tocar inicialmente com o calcanhar, a cada passo, com um avanço do peso para o antepé, enquanto o outro pé se aproxima para o próximo passo. 
    Não é ciência de foguetes. 
    Andar de outra maneira, só porque alguém nos diz que deveríamos fazê-lo, não é natural, é ineficiente e potencialmente prejudicial para os joelhos e outras articulações.